quinta-feira, 30 de maio de 2013

O Céu e a Terra


 
 

 

Todo o nosso percurso evolutivo está baseado numa premissa fundamental, pautada pela assimilação de tudo aquilo que aprendemos, que buscamos, ou vivenciamos.

Todo esse trabalho que de forma mais ou menos consciente vamos fomentando, e que é conhecido genericamente por “espiritualidade”, é tão só o revisitar os anais cósmicos, o vestir, de novo, a roupagem sagrada, dum humanitarismo integral, e integrativo, com o meio aonde viemos aprender a mais dura das provas, a sintonização com o TODO.

Nos últimos anos, e devido à necessidade premente de novas coordenadas dimensionais, a humanidade foi agraciada com imensas fontes de informação e sabedoria, que cumpriram plenamente a sua missão, no entanto, esta incomensurável dádiva ainda não foi totalmente compreendida.

No mar de sargaços (confusão) em que se debatem ainda tantos seres, apela-se à partidarização e à fomentação de grupos ou agrupamentos, contentores isolados e emparedados, que na sua estruturação se tornam naturalmente dependentes seja de um guia (guru) seja de normas e preceitos doutrinantes, ritualísticos, coadjuvados por um léxico de símbolos, aos quais se atribuem os mais variados poderes…

Sob uma outra e enganosa imagem, continua a velha desresponsabilização que se gere pela entrega do poder individual a algo, ou a outrem…tal qual se fez por séculos…

Cada Chama Humana é um microcosmos detentor de tudo, o que forma o macrocosmos. Em cada uma emerge, o que requer a sua intenção e escolha.

O Céu, é a implementação da descoberta do teor da consciência, é o cantarolar contínuo do refrão da música das esferas que advém com o despertar, e que nos diz que somos Um, é o salão dourado onde impera a harmonia e a luz é o nosso coração, pacificado.

Cada um de nós é arquitecto e construtor desse Olimpo almejado, tantas vezes indefinido, mas por todos procurado.

Meus queridos, nós não vamos a lado nenhum…o Céu existe! aqui, ali, e além…em cada gesto compassivo, em cada olhar de elevação, na palavra que conforta, na boa-vontade, no bem-querer, na plena e autêntica fraternidade.

O Universo na sua magna sabedoria, é equilíbrio em todos os vectores. O grau de desperticidade, não é dom ou vantagem, apenas, oportunidade de reequilíbrio cármico para quem mais dele precisa.

O céu, é também o som das vozes que nos falam e que vão deixando amorosos recados para, e citando o Mestre Nazareno, “quem tiver ouvidos que ouça”

 - Nós somos seres perfeitos, cujo desequilíbrio (doença) se gera como alerta da necessidade de mudança.

A sociedade actual está programada para a fomentação da doença, como consequência das condições de vida, mas também, como fonte de receita…

- Aos curadores: Cultuem a saúde, desintegrem a dependência, o culto à saúde só se pode enraizar por um teor consciencial de desprendimento, de sentido de missão.

A “profissionalização” das terapias da Alma é incompatível com a essência das mesmas.

Técnico e Terapeuta são funções e missões diferentes, lembrem que a designação de Terapeuta (no antigo grego) significa Iniciado, que por sua vez é um caminhante…aquele que abre caminho.

 - Aos filósofos com caudais de tantos saberes: fomentem o estudo, a experimentação, o auto-conhecimento, em ecumenismo pleno. Na sua essência, todos os saberes ancestrais são puros, e ramos da mesma árvore.

 - A todos os que reencontraram a sua génese, o seu Espírito, que a cada dia, se fundam nessa ligação pela integração do Eu em Nós. Lembramos que a missão, é a vivência pela experimentação no laboratório que se chama Terra.

 

Em qualquer lugar, profissão, a cada momento, pensamento, acção, na amizade, no amor, a honra do Espírito, do Deus em nós, deve ser sempre lembrada e preservada, porque a tarefa que por séculos vamos desenrolando, é trazer o Céu à Terra

 

“Paz na Terra, e no Céu aos Homens de Boa Vontade”

 

A.

 

 

 


ViaTao - 1º Aniversário


No primeiro aniversário da criação deste método baseado na filosofia Taoista saudamos o criador da mesma, Filipe Amorim, e expressamos a gratidão de todos quantos usufruem desta excelente actividade.
 
 

E falando de aniversários....



Também há dias este blogue completou um ano de existência. As 13 940 visualizações registadas até ao momento atestam a expansiva e abrangente partilha de reflexões que apelam à atenção para: 


O Imensurável Ser Que Somos Além De Nós
 






Reflexão

                                                                                                                                                                            

 
 
 
 

"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós.
Deixam um pouco de si. Levam um pouco de nós"

Antoine de Saint Exupéry

terça-feira, 28 de maio de 2013

Canção de Ninar

 

Canção de Ninar



Deite sua cabeça
e eu cantarei para você uma canção de ninar
De volta aos anos
de loo-li lai-lay
E eu cantarei para você dormir
E eu cantarei para você amanhã
Abençoarei você com amor
para a estrada que você irá


Que você possa navegar de maneira justa
para os distantes campos da fortuna
Com diamantes e pérolas
na sua cabeça e seus pés
E que você jamais precise
banir a falta de sorte
Que você possa encontrar a bondade
em tudo que você conhecer


Que haja sempre anjos
para cuidar de você
Para guiar você em cada passo do caminho
Para guardar você e mantê-lo
seguro de todo mal
loo-li loo-li lai-lay


Que você traga amor
e que você traga felicidade
Seja amado em troca
até o fim dos seus dias
Agora adormeça
Eu não pretendo mantê-lo
Eu apenas sento um momento
e canto
loo-li lai-lay


Que haja sempre anjos
para cuidar de você
Para guiar você em cada passo do caminho
Para guardar você e mantê-lo
seguro de todo mal
loo-li loo-li lai-lay
loo-li loo-li lai-lay
 
 
 

Retalhos da vida… para nos fazer sorrir…


 

O exemplo mais concreto pelo qual se pode entender o sábio conceito da Impermanência, é o das nossas próprias paixões.
Sejam coisas, profissões, locais, pessoas...com as pessoas o exemplo é mais nítido, mais definido, ainda que possa ser aplicado a qualquer vertente da vida.

Abrindo uma janela no tempo, assistimos à procissão daquilo ou daqueles que incendiaram o nosso coração e somos submersos por uma caterva de dúvidas, e quem sabe, se pela primeira vez, percebemos o eco repetitivo de conteúdos iguais, em contentores diferentes

O assistente na janela é o observador incólume aconchegado no calor sereno que a alma emana. Olha com afinco, e torna a olhar…mas não vê o que algures na escala do tempo o atraiu…tenta lembrar… seria o olhar, a timidez, a confiança, os saberes, o cheiro, o toque, a voz, o riso, a ternura, a paciência, a gentileza, a bondade, a entrega, a lealdade, a doçura? Onde estão? Se ao estender o olhar pela linha da procissão não vê qualquer altar… deve ser dos olhos cansados pois o tempo não perdoa…

Mas persistente, põe-se em bicos de pés, repreende o olhar (não se arme este em exigente) e volta a perscrutar. E o que vê, mormente, é um todo comum, desconcertante, nas sombras diluídas dos seus amores, santos e heróis…

- o batedor da tristeza cruza o ar, pede para entrar…

- o ego lança o engodo e escreve a giz  “tempo perdido “…

- a mente refila, que viste ali? Este, aquele e o outro, onde esconderam as paisagens que meus olhos adoraram?...
Aí…o coração já saturado da discussão resolve intervir…não se desgastem! Quantos mais proveitos podem tirar se retiverem hoje, e para sempre, que o que no outro te atraiu era apenas um reflexo teu… que os dons que enumeraste são teus… que as graças que partilhaste são tuas…que em espelhos de diferentes tonalidades pudeste expandir os presentes que as tuas fadas te deram ao nasceres – tua herança, teu celeiro, farol cintilante que ilumina o teu retorno ao lar. Assim como as culturas da terra têm época, assim espalhas sementes em ciclos temporais que germinarão, mais viçosas e fortes, no terreno que vieste cultivar, em mim, teu próprio coração…

Trabalha sem reserva – Entrega sem cautela – Ama sem medida

Sê, Sê, Sê

Os retalhos da vida são como os buracos negros que pululam no cosmos, aparentemente vazios, no entanto repletos de tudo aquilo que precisamos para compor a obra da estrutura psicoafectiva que viemos experimentar.
Não há ganhos ou perdas, apenas patamares de compreensão amorosamente aprimorados pela lei da evolução.

A.

28 de Maio de 2013

 

Estudo O Ser no Caminho Integral








Concentrado de Reiki - 1º domingo de cada mês


"O Nosso Livro" - 6º apontamento

Do sonho de uma noite iluminada pelas estrelas, materializou-se um conjunto de palavras imanadas por 22 corações, e irmanadas numa só intenção...a da Compaixão.
E assim nasceu 

" O Nosso Livro" composto pela inspiração de 22 autores
 
Passaremos a partilhar convosco semanalmente um pequeno apontamento do texto de cada autor.
 
Este livro foi editado por Publicações Maitreya.
 
                                                                                                            
"Tudo aquilo que nos está a acontecer impele-nos a fazer viagem interior até ao nosso coração, que precisamos aprender a sentir, que precisamos aprender a ouvir"
 
 
Helena Guerra

A Célula Divina

Recomendamos este recente livro, mais uma pérola
de Maria Ferreira da Silva.
Editado por Publicações Maitreya
 
 
A Célula Divina
de Maria -
 " Na realidade, hoje o conceito de Deus está a mudar e a ajustar-se a uma humanidade que já atingiu determinada evolução espiritual feita ao cabo de milénios, onde foi principalmente conduzida através das religiões e filosofias, aperfeiçoando os aspectos mais primários ou rudimentares da natureza humana. Naturalmente, tendo o bem como premissa, era necessária a Fé baseada num modelo de perfeição para a ligação ao Divino - caso de Jesus e de Buddha os quais têm exercido maior influência, tanto no Ocidente como no Oriente - estando agora essa qualidade já realizada numa boa parte da humanidade. Cabe, então, prosseguir para essa Inteligência - Consciência mais elevada, através da própria inteligência de forma mais consciente. Cada um, com a sua própria inteligência pode chegar directa e pessoalmente a Deus, pois estes modelos (Jesus e Buddha) que nos serviram de impulso evolutivo na base da fé e do amor, encontram-se já assimilados nos seres mais evoluídos. Daqui em diante, justifica-se a vinda de novos exemplos, seja na ordem da religiosidade, da espiritualidade ou, até de contributos científicos que possam elevar, colectivamente, a mentalidade humana e desencadear mais inteligência. Deus é, sobretudo, uma Dimensão de Inteligência, e quando vier alguém mais integrado nessa Inteligência, então servirá de modelo para mais um impulso colectivo de Consciência.
Seja o que for que tenha existido ainda antes das civilizações, hoje conhecidas como mais antigas, como a da Suméria, a do Egipto (§) e a da Índia fazendo parte da história da humanidade, todas contribuíram para o progresso humano que tem como objectivo principal a evolução mental e espiritual do homem, assente na capacidade de inteligência. Ser mais inteligente é ser mais perfeito, mais consciente, mais espiritual e, na realidade, os maiores estímulos ao aperfeiçoamento interno do homem centram-se nos aspectos morais, religiosos e devocionais, que vamos encontrar em todos os povos do planeta. A evolução na Terra tem como desígnio aumentar o poder da mente do homem, pelo gradual aumento de inteligência e, assim, expandir a Consciência, para que ele encontra o seu elo espiritual.

Pela incompreensão e ignorância dos homens de hoje, que racionalizam, designando mitos e lendas às culturas e religiões das civilizações mais antigas, recusam aceitar que Seres mais evoluídos (do que os homens dessas épocas), vieram à Terra em determinado “momento” impulsionar e legar ao Homem maior poder de auto-consciência. Não querem, também, dar valor à religiosidade, que desde sempre ligou e guiou a humanidade resultando no que somos hoje. Se esses Seres, que os povos mais antigos chamam de deuses, vieram em corpo físico, transportados em naves espaciais, como algumas teorias propõem, ou se nasceram no seio da humanidade já existente, será uma incógnita, que duvido, seja alguma vez decifrada cientificamente.

As civilizações entrelaçam-se, pois quando uma decai, outra já segue para o seu apogeu. As extinções tanto humanas, como animais e vegetais são necessárias para que se renovem os objectivos do aperfeiçoamento. Onde nos levará e quais as limitações, depende da meta que tenha sido estabelecida para a evolução na Terra e, até que ponto, tanto os homens como o próprio planeta assim o possam permitir.

Qualquer povo da antiguidade tinha laços profundos com a religiosidade, e neste livro, defendo haver determinadas células no cérebro que mantém a humanidade unida num propósito divino. O que essa evolução permitiu nos últimos milhares de anos, foi termos hoje uma grande capacidade mental, um cérebro cognitivamente desenvolvido nas suas capacidades de inteligência. Tornarmo-nos mais independentes e eficientes ao ponto de esses Seres, que estiveram a ajudar a humanidade em antigas civilizações, até anteriores às já citadas, terem concluído a sua tarefa para com determinados parâmetros da evolução. Nessas épocas, a humanidade era conduzida por uma alma-grupo(1) ou consciência colectiva.

Estamos vivendo uma nova etapa de Consciência, agora numa fase da mente mais intuitiva e espiritual no desenvolvimento de faculdades, nomeadamente da telepatia(2), imperceptível ainda à maioria dos seres humanos pela falta de conhecimento, não só sobre a mente como de outras dimensões da existência. Na realidade, essa ligação está estabelecida, pois é através da mente que somos inspirados e conduzidos, como resultado dos desenvolvimentos anteriores. Não precisamos de ter contactos misteriosos ou experiências de transe, mas de saber inteligentemente, que fazemos parte dum Todo que nos ajuda a tomar o rumo de forma pessoal e independente no ganho da própria sabedoria.

Desta forma, vão sendo feitas descobertas, impostas pela lei da necessidade evolutiva da humanidade, inspirando os homens em muitos campos do saber: científico, cultural, humanístico, religioso e filosófico. Foi estabelecida a forma de comunicar pela mente, num cérebro cada vez mais elaborado e eficaz. As tecnologias actuais ao nível planetário são a prova do grande desenvolvimento da inteligência humana"
 

Lembrando Allan Kardec


sexta-feira, 24 de maio de 2013

Sorriso, e que este seja sempre de esperança...

 
"Sorriso, diz-me aqui o dicionário, é o acto de sorrir. E sorrir é rir sem fazer ruído e executando contracção muscular da boca e dos olhos.

O sorriso, meus amigos, é muito mais do que estas pobres definições, e eu pasmo ao imaginar o autor do dicionário no acto de escrever o seu verbete, assim a frio, como se nunca tivesse sorrido na vida. Por aqui se vê até que ponto o que as pessoas fazem pode diferir do que dizem. Caio em completo devaneio e ponho-me a sonhar um dicionário que desse precisamente, exactamente, o sentido das palavras e transformasse em fio-de-prumo a rede em que, na prática de todos os dias, elas nos envolvem.

Não há dois sorrisos iguais. Temos o sorriso de troça, o sorriso superior e o seu contrário humilde, o de ternura, o de cepticismo, o amargo e o irónico, o sorriso de esperança, o de condescendência, o deslumbrado, o de embaraço, e (por que não?) o de quem morre. E há muitos mais. Mas nenhum deles é o Sorriso.

O Sorriso (este, com maiúsculas) vem sempre de longe. É a manifestação de uma sabedoria profunda, não tem nada que ver com as contracções musculares e não cabe numa definição de dicionário. Principia por um leve mover de rosto, às vezes hesitante, por um frémito interior que nasce nas mais secretas camadas do ser. Se move músculos é porque não tem outra maneira de exprimir-se. Mas não terá? Não conhecemos nós sorrisos que são rápidos clarões, como esse brilho súbito e inexplicável que soltam os peixes nas águas fundas? Quando a luz do sol passa sobre os campos ao sabor do vento e da nuvem, que foi que na terra se moveu? E contudo era um sorriso..."
 
 
 
José Saramago
 

Lindo...Arte que fala...


quinta-feira, 23 de maio de 2013

Arte é Crescimento


Recomendações do Mestre Omraam Mikhaël Aïvanhov,


"À noite, quando vamos adormecer, as energias do cérebro deslocam-se para o plexo solar, onde uma luz começa a brilhar.

Ao despertarmos, esta luz enfraquece e o nosso cérebro retoma as suas atividades. Em nenhum momento o cérebro e o plexo solar param totalmente de trabalhar, mas podemos dizer que eles exercem a sua atividade em alternância: o cérebro domina a nossa vida consciente e o plexo solar a nossa vida inconsciente ou subconsciente.

Considerando as relações que o plexo solar mantém com o cérebro, podeis apelar para ele sempre que precisais de fazer um trabalho mental: meditar, estudar, escrever… Começai por concentrar-vos no plexo solar e, quando sentirdes que a harmonia e o equilíbrio estão bem instalados em vós, fazei o vosso trabalho: o vosso cérebro será alimentado e apoiado pelas energias que lhe veem do plexo solar. E se, durante a vossa atividade, sentirdes que o vosso cérebro começa a ficar bloqueado, massajai o plexo solar no sentido inverso ao dos ponteiros do relógio."

 


Pensamentos Quotidianos de Omraam Mikhaël Aïvanhov




Quantas mortes se podem vivenciar numa só vida


 
Por inúmeras vezes ao longo dos últimos anos, foram alertados, para o facto de que vivem tempos de profundas mudanças, de acertos e remissão, e repetidamente  afirmamos que  os actualmente encarnados vivem muitas vidas numa só vida.
Devemos agora referir as muitas mortes experimentadas neste ciclo vivencial porque é disso que se trata:

 - Transmutação – Expansão Consciencial    Novo Paradigma –
 5ª Dimensão -
 
São apenas, denominações para a Bancada Alquímica da qual sois os materiais  e os alquimistas, Vós Sois a Pedra Filosofal, a Grande Revelação de Deus.

O planeta comporta já dois campos energéticos diferenciados, entre um e outro, medeiam as vossas “mortes”, que de forma intensa os Iniciados estão a sentir.

Estas vestem-se de diferentes maneiras que de tão pessoais não iremos abordar aqui, no entanto devem estar atentos pois é nos meios mais próximos de vós que emergem as ferramentas do divino que estimulam e qualificam o vosso salto. Só na luz da plena gratidão e compaixão poderão arcar com proveito essas Graças.

No eterno jogo entre a luz e a sombra, forças ocultas agregam-se  de forma intensa e  “in extremis”, num processo concertado, fazendo uso de todas as brechas possíveis entre aqueles que fazem frente ao “status quo” da baixa sintonia vibracional do planeta e da maioria dos seus habitantes.

A todos os portadores da luz recomendamos reflexão constante, de hora a hora,  sobre os seus próprios pensamentos e julgamentos, e o sempre presente “orar e vigiar” além da prece que deve fazer parte do vosso dia-a-dia:

 

“Pai Nosso que estais no Céu…”

 

Vozes da Terra

 

 

O Nosso Livro - 5ª apontamento

Do sonho de uma noite iluminada pelas estrelas, materializou-se um conjunto de palavras imanadas por 22 corações, e irmanadas numa só intenção...a da Compaixão.
E assim nasceu 

" O Nosso Livro" composto pela inspiração de 22 autores
 
Passaremos a partilhar convosco semanalmente um pequeno apontamento do texto de cada autor.
 
Este livro foi editado por Publicações Maitreya.
 
                                                                                                            
"Sugere-se então que a palavra compaixão seja removida de todas as formas (oral, escrita, memoria, significado e valor), para que ela exista constante, sem oscilações"
 
 
Ricardo Monteiro
 

domingo, 19 de maio de 2013

Corpo de Luz


Quem era o Conde de Saint Germain? Seria português?

O facto de nunca ter revelado a sua verdadeira identidade levou a muitas especulações a respeito de sua origem. Entre elas, uma especulação aponta que o conde seria filho de Francis II Rákóczi, o príncipe da Transilvânia que, na época, estava exilado; outra divagação diz que seria filho ilegítimo de Marie-Ann de Neubourg, viúva de Carlos II da Espanha, com um certo conde Adanero, que ela conhecera em Bayonne, no sudoeste de França. Alguns historiadores portugueses consideram que era filho ilegítimo do rei D. João V, fruto da ligação com uma freira de Odivelas. O Conde de St. Germain teria estudado na Itália, possivelmente como protegido do Grão-Duque Gian Gastone (o último descendente dos Médici).
 
 
Um misterioso tema a pesquisar...
 
 
 
 
 

O Inconsciente -

(Recomendamos a descoberta ou redescoberta de Antero de Quental que à mais de cem anos já versava sobre temas tão pertinentes)
 
 
O INCONSCIENTE

Já sossega, depois de tanta luta,
Já me descansa em paz o coração.
Caí na conta, enfim, de quanto é vão
O bem que ao Mundo e à Sorte se disputa.

Penetrando (com fronte não enxuta)
No sacrário do templo da Ilusão,
Só encontrei, com dor e confusão,
Trevas e pó, uma matéria bruta.


 
Antero de Quental



 

Pérolas de Wu Jyh Cherng,


PRIORIDADES


Quando as pessoas não conseguem distinguir o essencial do superficial, quando não conseguem definir prioridades, tornam-se confusas. É fundamental saber distinguir o que é prioridade na vida.

Wu Jyh Cherng,

A palavra Tao tem dois significados: literalmente significa Caminho e filosoficamente, para o taoísmo, significa Absoluto. O taoísmo é exatamente um caminho espiritual que propõe uma realização, um curso que nos leva ao estado do Absoluto, que nos leva ao reencontro com o Absoluto, esse vazio que abraça todas as manifestações, o zero que abraça o um. Então, o encontro com a unidade, com a onipotência e, em seguida, com o zero - o Absoluto - é, em última análise, exatamente o Caminho do taoísmo. Obviamente, é um caminho longo e nós o chamamos de “Grande Caminho” ou “Caminho da Realização”.

Nem todas as pessoas são tão “pretensiosas” de quererem chegar à união com o um e com o zero, nem todas as pessoas estão querendo, tão “pretensiosamente” chegar à Sagração do Homem, muitas querem, apenas, encontrar a paz e a harmonia, ser mais tranquilas, outras querem um pouco mais, querem descobrir o “sentido da vida”, querem sentir a sua identidade libertada, menos limitada. Tudo isso é válido se a pessoa souber o que quer. Uma das coisas que os mestres taoistas costumam perguntar aos discípulos quando estes vão pedir iniciação é o que eles estão buscando, procurando, que objetivos querem alcançar.

Normalmente, com relação ao caminho espiritual, todos os aprendizes devem perguntar a si mesmos o que querem para suas vidas, o que querem dentro do caminho espiritual e onde estão tentando chegar com esse caminho. Essa questão é fundamental porque o caminho espiritual não deveria ser levado de uma maneira impetuosa, impensada, irrefletida, você não deveria ir por um caminho espiritual apenas porque seus amigos estão caminhando nele. Saber o que você está fazendo e até onde, pelo menos nesse momento, você pretende chegar pode facilitar muito a organização da sua prática espiritual, a definição da prioridade da sua vida.

E o que é prioridade? Muitas vezes, uma pessoa começa uma prática espiritual, seja ela qual for, e no meio desse caminho entra em crise. Fica então se perguntando: “É o meu Caminho ou o meu namoro, é o meu Caminho ou o meu dinheiro, é o meu Caminho ou a minha diversão? Não sei o que fazer, estou em crise”. É muito simples: normalmente os Mestres Taoistas “devolvem” a dúvida para essa pessoa, perguntando: “o que é mais importante para você? qual é a prioridade, pelo menos nesse momento, da sua vida?”. Você, então, precisa definir essa prioridade e depois deve assumi-la sem temor, sem culpa. Você pode até reconhecer que gosta muito do caminho espiritual, mas naquele momento a sua prioridade é a estabilidade material para ficar bem financeiramente e depois, então, voltar a dar mais atenção ao caminho espiritual. Tudo bem, se esse é o seu voto. Faça isso assumidamente porque quando você assume aquilo que está desejando não vai se sentir culpado, e, sem carregar essa culpa, vai até conseguir trabalhar melhor o lado espiritual.

De modo contrário, quando você não assume aquilo que quer, seja essa prioridade o seu lado espiritual, material, sua família, seus filhos, sua carreira, qualquer um, você vai estar sempre em conflito. A permanência desse estado já significa que você não está mais na prática espiritual, pelo menos no taoísmo, cuja prática espiritual significa, exatamente, reduzir paulatinamente os conflitos interiores, até a sua extinção. O caminho espiritual não é para aumentar os conflitos interiores. Se você segue um caminho espiritual e fica mais confuso, com mais conflitos, não vive essa prática espiritual.

Todos deveriam saber, pelo menos em parte, a direção em que estamos indo, em cada momento da vida. Sabendo o que é prioridade na sua vida, você vai conseguir administrá-la em função dessa prioridade. Algumas vezes, para proteger o que é prioridade ,você deixa para fazer depois o que é secundário na sua vida. Se sobrar tempo, você faz, se não sobrar tempo, você não faz. Mas, pelo menos, aquilo que é prioridade já foi realizado. Se você souber definir o que é prioritário na sua vida vai conseguir realizar essa prioridade sem grandes interferências ou prejuízos, mas se não conseguir estabelecer essa definição, pode, muitas vezes, acabar sem conseguir fazer nada que tenha um bom resultado ou um progresso.

Estabelecer prioridades significa saber distinguir o que é necessário do que não é necessário. Necessário é aquilo que você não poderia deixar de ter. É algo que se faltar, você deixará de ter felicidade, seu sustento material ou sua paz interior. Então, prioridade é aquilo a que você não pode renunciar, sob pena de tornar sua vida extremamente insatisfatória ou até mesmo perdê-la. Mas existem, também, coisas que, se você não as tiver, não irão interferir com a sua sobrevivência espiritual, emocional, física ou material. Essas são as coisas superficiais, não prioritárias, pelo menos com relação às outras essenciais, em determinado momento da sua vida.

A partir da definição da sua prioridade, se essa prioridade for o Caminho espiritual, você parte para o segundo passo, que é saber qual o seu propósito, até onde você pretende chegar, quais os caminhos que pretende seguir: se é um caminho introspectivo, de autorrealização ou um caminho extrovertido, voltado também para os outros seres do planeta. Ou seja: você precisa saber o que está mais de acordo com você, com o seu temperamento. A esse respeito você poderia trabalhar, principalmente, o seu lado devocional, poderia trabalhar com mágica, transmutação, oráculos, filosofia da vida, na área das curas e assistências; você precisa descobrir quais dessas ferramentas mais se adaptam ao que você gosta de fazer.

 

Wu Jyh Cherng


Dinâmica energética no Resgate coletivo

 
Ricardo Di Bernardi 
 
 
            Nestas semanas que se sucederam ao infeliz episódio de incêndio em uma boate, no Rio Grande do Sul, ocasionando o desencarne coletivo de 241 pessoas, nós temos lido, em conceituados jornais e revistas espíritas, conceitos e explicações extremamente tímidas no que concerne às causas do lamentável evento.
Desde as primeiras obras psicografadas por Chico Xavier no século passado já eram mencionados os fenômenos de fluxo das energias, as sintonias entre campos vibratórios do psicossoma e o magnetismo impresso nas moléculas do corpo espiritual. Campos energéticos que atraem outros semelhantes pelo automatismo da Lei de Ação e Reação.   Estamos em pleno século XXI e constrangidos, observamos o deficiente conhecimento desta fenomenologia por significativo segmento dos adeptos  do Espiritismo.   
Associando-se ao precário estudo, há uma excessiva preocupação a não atribuir-se o fenômeno da “culpa” às vítimas correlacionando o fato às vidas pretéritas. Prefere-se uma postura semelhante às religiões tradicionais, entendendo que o fenômeno decorreu do livre arbítrio de todos e de uma mera fatalidade. A Doutrina Espírita não é assim.
É verdade que a espiritualidade superior não arquiteta uma meticulosa ação que reúne num mesmo lugar, criminosos de ontem para se tornarem vítimas de iguais sofrimentos causados a terceiros. Sucede sim, é a Espiritualidade Superior amparar amorosamente àqueles que trazem em sua estrutura, em seus tecidos perispirituais o magnetismo que os ligará automaticamente a um determinado fato.   Os campos vibracionais do perispírito são geradores de ondas que exteriorizam arquivos pretéritos e essas energias buscam, pelo automatismo da natureza, situações pontuais.
Também, é verdade que atribuir a mera causalidade fatos de tamanha gravidade como desencarnes coletivos, seria demonstrar o desconhecimento da Lei Universal  e do  mecanismo perfeito e automático da dinâmica energética que todos  Seres geram com  atos, pensamentos e sentimentos. Em função da falta de profundo mergulho em obras como “Mecanismos da Mediunidade” e  “Evolução em Dois Mundos “ lemos posturas, aparentemente modernas, de críticas às explicações do resgate coletivo, tais como no circo em Niterói R.J.,   quando o emérito  Chico Xavier recebeu, psicograficamente, informações de que também em um circo romano aquelas pessoas participaram de atrocidades.  
Existem no perispírito, de cada um de nós, trilhões de núcleos energéticos que armazenam os detalhes do “modus vivendi” das mais longínquas encarnações. Cada núcleo destes emite uma frequência de onda com características específicas. O conjunto dessas energias gera uma vibrante psicosfera que determinará fragilidades, tendências, vocações e valores, os quais pela “Lei de “Ação e Reação” proporcionam altíssimas probabilidades de sermos atraídos á determinados eventos.   
A concepção de um Deus antropomórfico, pleno de emoções, embora esteja distante da real proposta da filosofia espírita é, infelizmente, ainda uma realidade em nosso meio.  Ainda existem entre nós os  que imaginam Deus como interveniente em questões específicas e até mínimas de uma pessoa. Deus é  Inteligência e  Amor Universal, imutável e suas Leis são as Leis Naturais de um automatismo perfeito. Nós próprios somos co-criadores e construtores do nosso destino.
O papel dos espíritos superiores que supervisionam as reencarnações não é  nem organizar incêndios em circos nem enviar para tais locais pessoas para pagarem o mal que fizeram, como uma pena de talião, “olho por olho dente por dente”.  
Não há necessidade de se regatar o mal com sofrimento nem este é o mecanismo do Amor Universal, sem dúvida é trabalhando e amando que se resgata, preferencialmente. Só abrirá a porta da dor quem não buscou a porta do labor e do amor. Apesar disto, enquanto  existirem catástrofes no nosso orbe, a dinâmica das energias determinará uma  tendência a magneticamente atrair a esses  locais  os Seres que trazem  em seus campos perispirituais  as moléculas cujas vibrações tem a frequência , comprimento de onda, brilho, luminosidade, cor e odor específicos compatíveis com o evento. Cabe aos Espíritos de luz, nos intuir a  modificarmos ou atenuarmos nossas  energias levando a nos isentarmos das situações que não são inexoráveis, mas evitáveis por posturas psíquicas de elevado nível vibratório. 
 
            Amemos muito e estudemos mais.  
.
Imagem removida pelo remetente.

__,_._,___

NEOPE - VPCC - FEC
Núcleo de Estudo e Orientação da Pesquisa
Vice-presidência de Cultura e Ciência Espírita
Federação Espírita Catarinense

sábado, 18 de maio de 2013

Deusa das águas que correm


 

Deusa das águas que correm
Deusa da montanha
Deusa dos campos floridos
Deusa das florestas

A Deusa canta em todas as coisas
Em toda a natureza
A Deusa canta em todas as coisas
A canção da beleza

Deusa da estrela brilhante
Deusa do luar
Deusa da alvorada
Deusa do por-do-sol

 

 

Grupo Cellebrando

Compositor: Lisa Thiel

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Contos ZEN - Os Portais do Paraíso

A raiva, a ira, a maledicência e as portas do paraíso ....
 
 
 
Os Portais do Paraíso

Um orgulhoso guerreiro chamado Nobushige foi até Mestre Hakuin, e perguntou-lhe: "Se existe um paraíso e um inferno, onde estão?
""Quem é você?" perguntou Hakuin."Eu sou um samurai!" o
guerreiro exclamou."Você, um guerreiro!" riu-se Hakuin. "Que espécie de governante teria tal guarda? Sua aparência é a de um mendigo!".
Nobushige ficou tão raivoso que começou a desembainhar sua espada, mas Hakuin continuou:
"Então você tem uma espada! Sua arma provavelmente está tão cega que não cortará minha cabeça..."
O samurai retirou a espada num gesto rápido e avançou pronto para matar, gritando de ódio.

Neste momento Hakuin gritou:

"Acabaram de se abrir os Portais do Inferno!"

Ao ouvir estas palavras, e percebendo a sabedoria do mestre, o samurai embainhou sua espada e fez-lhe uma profunda reverência.

"Acabaram de se abrir os Portais do Paraíso," disse suavemente Hakuin.


 

O Mantra do Coração


Eternidade


Um bom sono para uma saúde integral


 
  
 
 
 
Das 21- 23:00: É o horário em que o corpo realiza atividades de eliminação, químicos desnecessários e tóxicos (desintoxicação) mediante o sistema linfático do nosso corpo. Neste horário do dia devemos estar num estado de relaxamento, escutando música, por exemplo.
 
Das 23 - 01:00: o corpo realiza o processo de desintoxicação da vesícula biliar, e idealmente deve ser processado num estado de sono profundo.
 
Durante as primeiras horas da manhã 01:00- 03:00: processo de desintoxicação do fígado, idealmente deve suceder também num estado de sono profundo.
 
De madrugada 03:00- 05:00: desintoxicação dos pulmões. É por isso que por vezes neste horário se produzem fortes acessos de tosse. Quando o processo de desintoxicação atinge o trato respiratório é melhor não tomar medicamentos para a tosse já que interferem no processo de eliminação de toxinas.
 
Manhã 05:00- 07:00: desintoxicação do cólon. É o horário de ir à casa-de-banho para esvaziar o intestino. 
Durante a Manhã de 07:00- 09:00:absorção de nutrientes no intestino delgado. É o horário perfeito para tomar o pequeno-almoço. Se estiver doente, este deve ser tomado mais cedo: antes das 6:30 .
 
O pequeno-almoço antes das 7:30 é benéfico para aqueles que querem manter-se em forma.
 
Os que não têm por hábito tomar o pequeno-almoço devem tentar mudar o hábito, sendo menos prejudicial realizá-lo entre as 9:00 e as 10:00 em vez de ficar a manhã completa sem comer.
 
Dormir tarde e despertar tarde interromperá o processo de desintoxicação de químicos desnecessários ao teu organismo. Além disso deves ter em conta que das 00:00 às 4:00 é o horário em que a medula óssea está a produzir sangue. Então, procura dormir bem e não te deites tarde. 
 
Saúde Integral
 
 
-------------------------------------------------------------------------------------------
 
 
 

 

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Tao Te Ching . Cap. 8


A bondade sublime é como a água

A água, na sua bondade, beneficia os dez mil seres sem preferência

Permanece nos lugares desprezados pelos outros,

Por isso assemelha-se ao Caminho

Viva com bondade na terra

Pense com bondade, como um lago

Conviva com bondade, como irmãos

Fale com a bondade de quem tem palavra

Governe com a bondade de quem tem ordem

Realize com a bondade de quem é capaz

Aja com bondade todo o tempo

 

Tao Te Ching

terça-feira, 14 de maio de 2013

Santo Anjo


O Nosso Livro - 4º apontamento

Do sonho de uma noite iluminada pelas estrelas, materializou-se um conjunto de palavras imanadas por 22 corações, e irmanadas numa só intenção...a da Compaixão.
E assim nasceu 

" O Nosso Livro" composto pela inspiração de 22 autores
 
Passaremos a partilhar convosco semanalmente um pequeno apontamento do texto de cada autor.
 
Este livro foi editado por Publicações Maitreya.
 
                                                                                                            
"Nova compreensão se foi realizando, onde as catarses foram operando mudanças profundas, e onde antes se encontravam instalados sentimentos de sofrimento, hoje está a nascer o Amor Incondicional"
 
 
Ana Paula Reis